Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

Importância da logística estratégica na indústria farmacêutica

28 NOV 2018 - 00H00 | ATUALIZADA EM 28 NOV 2018 - 16H40

Muito se fala sobre logística nas indústrias, porém, pouco se discute sobre sua importância estratégica na redução de custos, gestão de estoque e até transporte adequado da carga para maior performance do produto.

Este processo envolve desde a produção até o manejo para o destino final. Muito mais do que transportar de um local ao outro, na indústria farmacêutica, esse segmento se faz ainda mais importante. Porém, apesar de sua relevância, os investimentos em tecnologias e soluções ainda estão abaixo do ideal.
Com o avanço do e-commerce, principalmente, a logística ganhou muito mais força no Brasil. Em 2017, segundo a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico, este mercado registrou um aumento 12% e faturou R$59,9 bilhões. E para 2018 a projeção é ainda melhor, um crescimento de 15%, com renda por volta de R$69 bilhões, o que significa a gestão de mais de 220 milhões de pedidos.

Mas como isso afeta o setor farmacêutico?

Com a possibilidade de compra de medicamentos pela internet com custos mais acessíveis, já que não há o gasto de transporte até as farmácias, as empresas precisam se preparar para essa comunicação direta com o consumidor final. Isto não significa o fim das lojas de remédios, mas o mercado passa por uma forte mudança de comportamento e é preciso ficar atento para não ser deixado para trás pelos concorrentes.
Além dos investimentos públicos em infraestrutura, que ainda representam muito pouco do PIB brasileiro – cerca de 1,4%, também é preciso investimento em tecnologias para baratear o custo do transporte, otimizar as entregas com rotas diferentes e diminuir a perda de cargas, principalmente as da cadeia fria.

Quais soluções devo investir?
As tecnologias que mais se destacam e já são utilizadas atualmente são big data, machine learning e inteligência artificial. O famoso IoT, Internet das Coisas, é um caminho sem volta para diminuir a burocracia e erros humanos no processo, aumentando a lucratividade, a segurança e a confiabilidade. Hoje em dia, você pode investir, por exemplo, em máquina que monitoram o desempenho dos veículos, já que a malha viária é a mais utilizada no Brasil, o que mostra o consumo do combustível, rotas inteligentes e o controle da carga.

Você já ouviu falar em logística compartilhada?
Esta é uma das soluções que vem crescendo no país. É possível compartilhar o envio de cargas por diferentes empresas. Caso não tenha ocupado a capacidade máxima de um container, você pode dividir com outra empresa. O que isto representa? Otimização do modal, custos menores de envio e também aquecimento do mercado.

Quais são as principais tendências para o próximo ano?
Omnichannel. Apesar de ser um conceito bastante falado, ainda não é amplamente utilizado na indústria farmacêutica. O Omnichannel nada mais é do que unir a experiência do atendimento de qualidade em todos os canais, independentemente se é em local físico, experiência online ou por telefone. Com essa tecnologia, também é possível fazer um atendimento mais diferenciado para cada público, identificando seus desejos e demandas e oferecendo a solução certa para seu problema. Sustentabilidade. Pauta em todo mundo, a sustentabilidade ganha cada vez mais força e as empresas que investirem neste segmento tendem a ter uma melhor visão de mercado, além de também conseguirem redução de custo. Outro ponto importante é que os países mais avançados estão investindo muito em leis ambientais, por isso é importante ficar atento no caso de importação e exportação. Veículos elétricos, controle da emissão de gases poluentes, combustíveis de fontes renováveis, descarte correto de cargas, logística reversa, são algumas das opções. Por fim, temos a indústria 4.0. A quarta revolução industrial é uma realidade em diferentes segmentos da indústria. Com a automação dos processos, é possível conseguir eficiência máxima de produção, gestão das máquinas 24 horas, otimização de tempo, entre outros benefícios.

Todos esses tópicos mostram de forma bem simplificada que a indústria farmacêutica tem muito potencial de crescimento, e uma das maneiras é investir na logística. Já o outro lado, possui uma indústria que está lidando com a mudança de comportamento dos clientes e carece de tecnologias e soluções para maior eficiência.

Artigo realizado por: Comunicação FCE Pharma

Ficou com interesse em saber mais sobre logística?

Participe da Logitech Science